• Lorena Buiatti

Tempo



Foi-se o tempo em sentávamos juntos e sorríamos, brincávamos

Foi-se o tempo em que eu me amava e recusava-me a fazer poesia,

foi-se muito tempo. O tempo passa sem estardalhaço, calmamente

fulminando os corações solitários perdidos em multidões de pessoas invisíveis.


Foram-se tempos que não voltam e que nos deixam saudades.

Diz-se que o tempo a tudo cura, mas ao seu tempo.

O tempo não é escravo da razão humana e escapole por entre dedos

famintos, ávidos de si que se perderam há tempos.

Há quem diga que encontra o tempo, mas não se pode acreditar.

Foi-se o tempo que estivemos juntos, que seus braços me

embalavam e seus lábios me embeveciam.

Necessidade há de amadurecimento, esses tempos já se foram,

Mudaram, transformamo-nos e, sempre a triste parte,

Seguimos caminhos diferentes.

Se o tempo tudo cura, deixemos que ele cure as feridas,

em tempo. Que o tempo lhe deixe perdoar-me e que,

depois de dias de angústia e raiva,

possa você, sorrir-me novamente. (E perdoar-me pela minha falta de rima e balanço poéticos).

made with ♥ in MG, 2020